top of page

Etanol hidratado deve ganhar mercado da gasolina C em 2024, prevê StoneX

O consumo de etanol hidratado no Brasil em 2024 deverá crescer 20,6% ante 2023, para 19,3 bilhões de litros, ganhando mercado da gasolina C, cuja demanda deverá recuar 2,7% neste ano, de acordo com dados da consultoria StoneX, em relatório divulgado nesta sexta-feira, 2.

Já o mercado do ciclo Otto (gasolina e etanol) no Brasil terá um crescimento de 1,9%, para 58,3 bilhões de litros.

“Mais importante do que o crescimento do conjunto do ciclo Otto será a dinâmica entre seus combustíveis, uma vez que a virada de 2023 para 2024 foi marcada por uma paridade entre etanol e gasolina abaixo de 60% no estado de São Paulo, principal consumidor”, disse a consultoria, ressaltando a vantagem de preços do combustível renovável sobre o fóssil.

A StoneX disse esperar que este ano o biocombustível ganhe uma fatia maior do mercado. “O ‘share’ de hidratado deve sair de 19,6% em 2023 para 23,2% em 2024”, disse.

Em 2023, o consumo de gasolina C (com mistura e anidro) registrou crescimento de 6,9% sobre 2022, marcando novo recorde a 46 bilhões de litros.

“Em 2024, o cenário para a gasolina deverá ser mais parecido com o verificado na segunda metade de 2023, quando o aumento do consumo de etanol hidratado limitou o crescimento de sua demanda, mesmo sob um consumo de ciclo Otto aquecido”, pontuou a empresa de análises.

A StoneX lembrou que um evento relevante neste ano será o aumento na cobrança da alíquota fixa de ICMS, que passou de R$ 1,22 por litro para R$ 1,3721 por litro a partir de fevereiro. “Por encarecer a gasolina, a medida tende a diminuir a paridade entre os combustíveis nos postos, fator que estimula a substituição do fóssil pelo biocombustível”, afirmou.

Do lado do etanol, a StoneX chamou a atenção para uma “normalização do contexto tributário” e para a mudança do comportamento do consumidor em favor do etanol hidratado, o que deve ganhar impulso com uma produção abundante do combustível.

“A expectativa é de que a safra 2024/25 do Centro-Sul, embora apresente quebra, mantenha elevados níveis de moagem de cana-de-açúcar, o que deve seguir mantendo uma ampla oferta do bicombustível, que também deve contar com um crescimento constante da produção a partir do milho e elevados estoques de passagem”, disse.

A produção de etanol hidratado, consumido diretamente pelos veículos no Brasil, deverá ficar praticamente estável na safra 2024/25 do Centro-Sul, somando 20 bilhões de litros, graças a um avanço nos volumes do combustível fabricado a partir do milho, segundo estimou a StoneX anteriormente.


15 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page