Análise de Mercado

16 de outubro de 2020
Visão geral 

 

O hidratado no Centro-Sul manteve a tendência de alta que já vinha desde a 1ª semana de Outubro, com Distribuidoras dando a liquidez necessária para manter este viés.  A cada dia da semana encurtada pelo feriado o hidratado foi negociado em um determinado nível, buscando para o dia seguinte novo patamar. Na terça-feira (13) as negociações se iniciaram a R$ 2,38/litro e na quinta-feira (15) chegou a ser negociado até a R$ 2,46/litro, cotações EXW na região de Ribeirão Preto.  Porém na própria quinta-feira (15) a Petrobras anunciou uma queda de quase 4% na gasolina, levando as Distribuidoras a interromper o apetite de compra, e rever suas propostas para fechamento. As propostas recuaram para níveis mais próximos de R$ 2,40 e com algumas Distribuidoras até suspendendo a compra, preferindo aguardar o efeito na demanda da queda na gasolina.  Vale ressaltar que esta queda anula o aumento ocorrido no dia 10 de Outubro, voltando para o preço que era negociado desde o dia 30 de Setembro. Pelo menos até o fechamento deste release, as Usinas não chegaram a recuar em suas propostas, preferindo aguardar o comportamento do mercado na abertura da semana seguinte, e as negociações que ocorreram na sexta-feira (16) chegaram até a R$ 2,48/litro na região de Ribeirão Preto.

 

A demanda por hidratado no Nordeste está mais calma e com isso as cotações seguem estáveis, em geral a R$ 2,00/litro EXW icms a incluir, tanto em Alagoas quanto em Pernambuco e Paraíba, nestes dois últimos preços para dentro do estado.  Algumas negociações pontuais em Pernambuco e em Alagoas entre R$ 2,03 até R$ 2,08/litro, porém em atendimento para fora dos estados de origem.  Já o anidro o viés de alta se mantém, com pedidas partindo de R$ 2,65 em Alagoas e R$ 2,67 em Pernambuco.  Existe uma tentativa de manter o anidro com viés de alta por parte das Usinas por conta da queda na gasolina, que por consequência pode aumentar a demanda pelo biocombustível.