Análise de Mercado

08 de novembro de 2019
Visão geral 

Na semana de 04 a 08 o mercado manteve a tendência de alta no Centro-Sul, porém iniciou tímido nos fechamentos, com Distribuidoras analisando se haveria algum impacto negativo nas vendas após repasse dos aumentos.  Porém já na terça-feira e com continuidade ao longo da semana o que se viu foram Compradores voltando para reposição e entendendo que as cotações estão seguindo os fundamentos de mercado.  Na média na região de Ribeirão Preto o preço mais comum ofertado pelos Produtores até terça-feira (05) era de R$ 2,30/litro EX-WORKS, com algumas negociações desde R$ 2,25 (região de Araçatuba) até R$ 2,30 (em Ribeirão Preto mesmo).  Porém a partir de quarta-feira (06) já verificamos fechamentos a R$ 2,31/litro, ainda que menores volumes, porém a retirada foi um ponto de reclamação de muitos produtores.  Distribuidoras por sua vez informaram que estão com as bases cheias e algumas até com fila para descarga, o que ratifica a situação relatada pelas Usinas.  Portanto estes fechamentos mesmo que com retirada lenta pode ser um indício de que as Distribuidoras entendem que a manutenção do viés de alta será mantido.

 

Nordeste com semana de alta para ambos os produtos, principalmente para o anidro, que esteve escasso para carregamento imediato, já que boa parte das Usinas estava com a produção virada para o hidratado, produto que até então estava com ótima liquidez.  Em complemento, não se encontrava disponibilidade de cargas importadas, o que aumentou a procura das Distribuidoras pelo anidro.  As ofertas assim passaram na quarta-feira (06) a variar de R$ 2,25 até R$ 2,30 EX-WORKS, com variação de acordo com o estado de origem.  Hidratado as ofertas variaram desde R$ 1,72 até R$ 1,75 EX-WORKS e ICMS a incluir.

 

Após divulgação pela ANP dos dados de vendas de combustível até o mês de Setembro, vale o destaque para o etanol hidratado: o somatório de vendas de hidratado dos estados de Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e São Paulo, entre os meses de Janeiro e Setembro de 2019, foi de 12.799.993 m³.  Como comparativo, as vendas totais de gasolina no mesmo período nos mesmos estados, foi de 9.510.062 m³, ou seja, quase 35% menor do que o combustível verde.  Ressalta-se que estes estados destacados são também grandes produtores de etanol, e que em todos o etanol foi mais consumido do que a gasolina em todo o ano de 2019, exceto em Minas Gerais, que somente em Setembro o hidratado teve suas vendas maior do que a gasolina.  Outro dado interessante é que no Paraná, também importante estado produtor, apesar da paridade ter estado favorável  ao hidratado durante diversas semanas ao longo de 2019 (somente na última semana que perdeu essa paridade em período recente), o consumo de gasolina jamais foi menor do que o do hidratado.