Análise de Mercado

11 de junho de 2021
Visão geral 

Apesar das altas recentes no petróleo no mercado internacional, e do dólar fechar a semana em recuperação, a Petrobrás vinha mantendo os preços inalterados nas refinarias até a sexta-feira (11). Neste dia porém foi anunciado ajuste nas refinarias com vigência para o dia seguinte, e mais uma vez de queda nas cotações (2%), o que para muitos analistas foi uma surpresa.  No geral a tendência era de que as cotações permanecessem inalteradas.  Relembrando que a última atualização nos preços, e diga-se também foi para baixo, já tinha mais de 40 dias.  Sendo assim, o retorno da paridade favorável ao etanol hidratado nos postos de combustíveis não deverá ocorrer em espaço curto de tempo, exceto se os preços no produtor continuarem o movimento de queda, como verificamos nesta última semana.  Com mais uma semana que o hidratado está menos competitivo do que a gasolina em todos os estados, verificamos a demanda no mercado spot cair substancialmente, e assim preços foram se ajustando e chegando a ser negociado a R$ 3,60/litro EXW na região de Ribeirão Preto. Mesmo assim não foi suficiente para que as Distribuidoras retomassem o apetite para grandes posições de compra, o que agora deverá ficar ainda mais complicado para o produtor que estiver com hidratado disponível, e vendo a demanda permanecer favorável à gasolina.

 

No dia 10 de Junho a UNICA divulgou mais um relatório com a posição de safra da região Centro-Sul, sintetizando os dados de Abril e Maio.  A seguir um breve resumo, cujos dados poderão ser integralmente verificados no Portal da entidade.  Foram produzidos até 1º de Junho o total de 3.97 bilhões de etanol hidratado (queda de 13,18%) enquanto no anidro foram produzidos 1.85 bilhões de litros (alta de 11,27%), mantendo a tendência de comprometimento do setor em garantir o abastecimento visando a mistura com a gasolina, priorizando o aditivo.  A comercialização de etanol (tanto anidro quanto hidratado) vem se recuperando em relação ao ciclo anterior: somente em Maio houve um incremento de 11,8% em relação ao mesmo mês de 2020, e no comparativo acumulado este aumento é ainda mais expressivo, de quase 15%. No mercado interno o aumento mais expressivo foi da venda de anidro (demonstração clara que a demanda iniciou a safra voltada para a gasolina), com incremento de 35,62% nesta safra, sendo que somente em Maio foram mais 42,26% em relação ao mesmo mês de 2020.