top of page

Sul deverá ser a região brasileira com maior aumento na conta de luz em 2024

A conta de luz dos consumidores brasileiros deverá ter aumento médio acima da inflação em 2024 e a tendência é que a região Sul do país, onde estão localizados os estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, seja a mais impactada. 

A conclusão, recém-divulgada por um estudo da Volt Robotics, aponta que o Sul do Brasil deverá registrar uma elevação na tarifa de energia elétrica residencial de 9,2% no ano que vem. 

Trata-se de aumento que supera as elevações médias previstas para as regiões Centro-Oeste (7,8%), Sudeste (7,5%) e Norte/Nordeste (3,4%). Para esses índices, foi considerado um reajuste acima da inflação entre 3,9% e 6,7% e uma inflação anual na casa dos 4%. 

Claudio Elias Carvalho, diretor de tarifas da Volt Robotics, explica que alguns motivos explicam os aumentos. O primeiro deles envolve o aumento de encargos esperados da CDE (Conta de Desenvolvimento Energético), estimado em mais de R$ 2 bilhões. 

O segundo tem relação com os encargos de energia de reserva, no qual se espera um aumento considerável para 2024. “As usinas (termelétricas) que foram contratadas no regime de emergência durante o auge da crise hídrica tinham valores muito altos, uma vez que foram acordadas para operar até 2025”, destacou.

“Elas custaram em torno de R$ 40 bilhões. É um valor astronômico e boa parte dessas usinas acabou atrasando, enquanto algumas não entraram em operação e outras tiveram problemas na Justiça. Essas usinas vão ser pagas e terão um custo muito alto no ano que vem. Elas entram integralmente na conta de luz”, complementou. 

Por fim, o executivo disse que outro fator para o aumento da conta de luz, principalmente na região Sul, envolve os créditos de PIS (Programa de Integração Social) e COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social). 

“Esse crédito, que vem sendo utilizado ano a ano em algumas concessionárias, já acabou em algumas delas e em outras o ritmo já diminuiu”, pontuou. 

“Especialmente, em algumas distribuidoras da região Sul, estamos enxergando uma redução significativa também da utilização desses créditos para 2024. Só a Copel, por exemplo, mais de um R$ 1 bilhão em créditos foram usados para abater a tarifa neste ano. Isso acaba tendo um impacto muito grande no ano que vem”, ressaltou.

O estudo da Volt Robotics foi calculado a partir da observação das tarifas residenciais e projetadas a partir de inteligência artificial. 

Para o índice de projeção futura foram consideradas 26 distribuidoras de energia elétrica: 

  • Celesc;

  • Cemig;

  • Copel;

  • CPFL Paulista;

  • CPFL Piratininga; 

  • EDP Espirito Santo;

  • EDP São Paulo;

  • Enel Ceará;

  • Enel Rio de Janeiro;

  • Enel São Paulo; 

  • Equatorial Goiás;

  • Energisa Mato Grosso;

  • Energisa Mato Grosso do Sul; 

  • Energisa Pernambuco;

  • Energisa Tocantins;

  • Equatorial CEEE,

  • Equatorial Maranhão;

  • Equatorial Pará;

  • Equatorial Piauí;

  • Light;

  • Neoenergia Celpe;

  • Neoenergia Coelba;

  • Neoenergia Cosern;

  • Neoenergia Brasília;

  • Neo Elektro;

  • RGE. 

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page