Buscar
  • Ecoflex Trading

[Ranking] Usinas de etanol teriam gerado mais de 25 milhões de CBios em 2019


Cálculo do novaCana demonstra como as vendas de biocombustíveis no ano passado poderiam ter sido convertidas em créditos do RenovaBio.


O RenovaBio, nova política de incentivo aos biocombustíveis, entrou em vigor oficialmente em 24 de dezembro de 2019. Durante todo o ano passado, diversas usinas iniciaram o processo de certificação para poderem participar do programa e passar a emitir créditos de descarbonização (CBios).


Entre as usinas, a expectativa para o início da venda de CBios era positiva, porém, o mercado foi afetado pelas recomendações de isolamento devido à pandemia de coronavírus. Desta forma, houve e estão havendo diversas mudanças na estrutura do RenovaBio, especialmente no que tange às metas impostas às distribuidoras.


Para completar, há questionamentos sobre o quanto as produtoras de etanol realmente podem lucrar com o programa. Já ocorreram as primeiras compras de CBios, com diferentes faixas de valores, o que poderia indicar uma tendência de rendimentos para os emissores quando as vendas estiverem a todo vapor.


Além das notas estabelecidas para cada unidade, a produção de biocombustíveis é determinante na quantidade de créditos disponíveis – o que, consequentemente, tem relação direta com a oferta dos CBios e com quanto será possível lucrar.


Sabendo disso, o novaCana fez um exercício para estimar qual seria a geração de créditos do setor em 2019. Foram consideradas as entregas de combustíveis das usinas, utilizando dados inéditos divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e considerando que o programa estivesse em vigor desde 1º de janeiro.


Levando em conta as usinas já certificadas no programa, ou que ainda estão em processo, foi constatado que, de acordo com as vendas do biocombustível em 2019, teriam sido emitidos até 25,01 milhões de CBios no período. O cálculo considerou a nota de eficiência energética e a porcentagem de matéria-prima elegível das usinas.


Dentre as unidades já certificadas, a que teria gerado mais CBios no período analisado é a CerradinhoBio, do grupo Cerradinho Bioenergia. Já em relação aos grupos, a Atvos (antiga Odebrecht Agroindustrial) levaria a dianteira na geração de créditos no ano passado.


Fonte: novaCana.com

3 visualizações