Buscar
  • Ecoflex Trading

Produção de anidro mantém ritmo elevado e cresce na quinzena



A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas unidades do Centro-Sul na primeira quinzena de junho atingiu 35,96 milhões de toneladas, registrando retração de 14% em relação a moagem verificada em igual período da última safra (41,81 milhões de toneladas). No acumulado da safra 2021/2022, a moagem totalizou 165,59 milhões de toneladas ante 187,28 milhões de toneladas observadas no ciclo anterior -- queda de 11,58%. "A queda na moagem na quinzena remete a ocorrência de chuvas em algumas regiões do Mato Grosso do Sul, do Paraná e de São Paulo, incluindo Assis, Araçatuba e São Carlos, impactando a operacionalização da colheita", analisa o diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues. Dados apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira para o mês de maio registraram produtividade de 77 toneladas por hectare antes 85,9 toneladas observadas no mesmo período na safra 2020/2021 -- retração de 10,4%. No acumulado de abril e maio, o rendimento agrícola da safra 2021/2022 indica queda de 10,6% quando comparado com o mesmo período do último ciclo (76,1 toneladas por hectare ante 85,1 toneladas por hectare). "Números preliminares da primeira quinzena de junho de uma amostra de 28 unidades indicam quebra agrícola de 15%, em comparação com o rendimento das mesmas lavouras no ciclo anterior. Os valores são de uma amostra reduzida, mas apontam que a tendência de menor rendimento deve permanecer", acrescentou Rodrigues. A qualidade da matéria-prima colhida na região Centro-Sul na primeira quinzena de junho, mensurada em kg de ATR por tonelada de cana-de-açúcar processada, apresentou aumento de 1,34% na comparação com o mesmo período do último ciclo agrícola, com 138,35 kg de ATR por tonelada colhida. No acumulado desde o início da safra até 16 de junho, o indicador avança 1,23% no Centro-Sul, registrando o valor de 130,48 kg de ATR/t. Na primeira quinzena de junho, 249 unidades estavam em operação, sendo 241 processadoras de cana-de-açúcar, 5 exclusivas de etanol de milho e 3 usinas flex. Na mesma data da safra 2020/2021, 254 unidades haviam iniciado o processamento de cana-de-açúcar. Para a segunda quinzena de junho, outras 6 unidades devem iniciar a moagem no Centro-Sul. Produção de açúcar e de etanol A produção de açúcar na primeira quinzena de junho somou 2,19 milhões toneladas (-14,35%) e a de etanol 1,69 bilhão de litros (-8,70%). Do volume total de etanol produzido, o hidratado representou 975,20 milhões de litros (-23,99%). A despeito da queda nos outros produtos da cana, o etanol anidro registrou avanço considerável de 26,11% em relação ao volume produzido no mesmo período da safra 2020/2021, alcançando produção de 710,65 milhões de litros. "A produção de etanol apresentou queda inferior àquela registrada para açúcar, indicando que as unidades produtoras priorizaram a produção do etanol anidro", explicou Rodrigues. No acumulado desde o início da safra até 16 de junho, o açúcar e o etanol hidratado registram retrações frente a produção observada no ciclo agrícola anterior. A produção do adoçante totalizou 9,34 milhões de toneladas até a primeira quinzena de junho (-11,90%), enquanto a fabricação acumulada do biocombustível alcançou 4,96 bilhões de litros (-15,26%). Em sentido contrário, a produção acumulada de etanol anidro apresenta aumento de 15,02% até 16 de junho, com 2,56 bilhões de litros. Como reflexo, 45,39% da cana-de-açúcar foi destinada à produção de açúcar até o dia 16 de junho, ante 46,12% registrados na mesma data de 2020. Na primeira quinzena de junho, foram fabricados 119,71 milhões de litros de etanol a partir de milho, ante 67,53 milhões de litros no mesmo período do ciclo 2020/2021 -- avanço de 77,27%. No acumulado, a produção chega a 592,51 milhões de litros -- avanço de 41,65% na comparação com a safra passada. Vendas de etanol O volume de etanol comercializado pelas unidades produtoras do Centro-Sul nos primeiros quinze dias de junho somou 1,19 bilhão de litros, o que representa estabilidade em relação ao mesmo período do ano passado. No mercado interno, as vendas de etanol hidratado somaram 702,98 milhões de litros na primeira metade de junho, com redução de 5,97% sobre o montante apurado no mesmo período da última safra (747,58 milhões de litros). A quantidade comercializada de etanol anidro, por sua vez, registrou significativo aumento, de 31,59%: 419,90 milhões de litros vendidos em 2021, contra 319,09 milhões de litros em 2020. A comercialização de etanol destinado a outras finalidades retraiu 26,16% na primeira quinzena do mês, totalizando 47,27 milhões de litros. No acumulado desde o início da safra 2021/2022 até 16 de junho, as vendas de etanol pelas empresas do Centro-Sul acumulam crescimento de 11,60%, somando 5,81 bilhões de litros. Desse total, as exportações registram retração de 19,68%, totalizando 279,66 milhões de litros, e as vendas no mercado interno contabilizam aumento de 13,84%, atingindo 5,53 bilhões de litros.


Fonte: UNICA

6 visualizações0 comentário