top of page

Preços nos postos: Após aumento, combustíveis ficam estáveis na média nacional

Os valores do etanol caíram em 17 estados, enquanto os da gasolina baixaram em 12 unidades da federação

  1. O consumo do biocombustível é tido como economicamente vantajoso em oito estados e no Distrito Federal

  2. O preço do etanol hidratado subiu nas usinas paulistas, mato-grossenses e goianas

  3. Levantamento de preços da ANP foi realizado em 414 cidades brasileiras

Os preços do etanol e da gasolina voltaram a apresentar estabilidade na média nacional após um aumento, visto na semana anterior. Entre os dias 23 e 29 de junho, o biocombustível foi vendido, em média, a R$ 3,83 por litro; já o seu concorrente fóssil foi comercializado a R$ 5,86/L.

Os números divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) levam em conta não somente o que é observado nos postos, mas também os volumes vendidos – desta forma, grandes mercados consumidores têm maior representatividade no resultado.

Com isso, o renovável também manteve a sua competitividade dentro da faixa considerada economicamente vantajosa para o consumidor. Conforme a ANP, a relação entre o preço do etanol e o da gasolina foi de 65,4% na média nacional.

Nas médias estaduais, por sua vez, o biocombustível é considerado competitivo em oito estados e no Distrito Federal.

A StoneX espera que o mercado se mantenha favorável ao etanol no decorrer de 2024. Segundo a consultoria, a demanda pelo renovável deverá crescer 2,4% no ano, enquanto para a gasolina a previsão é de uma queda de 4,4%, considerando preços não tão atrativos ao combustível fóssil.

Nas usinas paulistas, o etanol hidratado saiu de R$ 2,4113/L para R$ 2,4665/L, aumento de 2,3%. Por sua vez, nas unidades goianas, houve um incremento de 3,3% e nas mato-grossenses de 3,1%. Os dados são do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq-USP.

Variações nos estados

Em relação ao valor nos postos, a amostragem de municípios tem mudado a cada análise. No período mais recente, a pesquisa foi feita em 414 cidades, 16 a menos do que na semana anterior.

De acordo com a ANP, de 23 a 29 de junho, os preços do etanol caíram em 17 estados, subiram em cinco e no Distrito Federal e ficaram estáveis em quatro. Já os da gasolina retraíram em 12 unidades da federação, aumentaram em oito e ficaram estáveis em sete.

Em São Paulo, o valor do biocombustível subiu 0,6%, para R$ 3,66/L, na média. Já a gasolina foi vendida a R$ 5,63/L, baixa de 0,2%. Com isso, a relação entre os preços ficou em 65%, levemente mais alto do que o visto em uma semana antes, mas ainda em um patamar considerado economicamente favorável para o renovável.

Em Goiás, o etanol foi comercializado a R$ 3,88/L, ficando estável na semana. A gasolina também se manteve com R$ 5,86/L. Assim, a relação entre os preços dos combustíveis ficou em 66,2%, um resultado vantajoso para o consumo do renovável.

Por sua vez, Minas Gerais registrou retração de 0,3% no preço médio do etanol, indo a R$ 3,99/L; já a gasolina ficou estável em R$ 5,87/L. Desta forma, o renovável custou o equivalente a 68% do preço do combustível fóssil, também em um nível economicamente favorável.

Em Mato Grosso, o preço médio do etanol teve uma baixa de 0,6%, para R$ 3,53/L, seguindo como o menor valor dentre todos os estados. No período, a gasolina aumentou 0,9%, para R$ 5,90/L. Com isso, a relação entre os preços ficou em 59,8%, abaixo da semana anterior e a mais competitiva para o biocombustível no país.

Já em Mato Grosso do Sul, o etanol teve incremento de 0,3%, para R$ 3,64/L, enquanto a gasolina ficou estável em R$ 5,66/L. Assim, o valor biocombustível correspondeu a 64,3% do preço de seu concorrente fóssil, em uma relação comercialmente favorável para o renovável.

Por fim, no Paraná, o etanol custou o equivalente a 66% do preço da gasolina, um patamar também vantajoso para o biocombustível. No período, o valor do etanol subiu 0,8%, para R$ 3,99/L, e da gasolina teve alta de 0,2%, para R$ 6,05/L.

Os preços do etanol e da gasolina por região, estado ou cidade desde 2018 estão disponíveis na planilha interativa (exclusiva para assinantes). Também é possível acessar gráficos avançados e filtros interativos sobre o comportamento dos preços.

Pesquisa de preços

Atualmente, a empresa contratada pela ANP para a realização do levantamento é a Triad Research Consultoria e Pesquisa de Mercado. A vigência do acordo começou em 26 de setembro de 2022 e o cronograma previa um crescimento gradual da amostragem, atingindo 459 municípios até 16 de abril de 2023.

O levantamento mais recente, entretanto, totalizou 414 municípios. Sobre o assunto, a agência justifica: “É possível que a abrangência geográfica sofra variações em determinadas semanas, devido a problemas operacionais pontuais”.


3 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page