top of page

Preços do açúcar fecham mistos nas bolsas internacionais


Os contratos futuros do açúcar fecharam mistos ontem (23) nas bolsas internacionais, após uma forte alta no dia anterior. O mercado aguarda, também, os dados do balanço de safra que a Unica apresentará na manhã desta quinta-feira, às 11 horas. Em Nova York, na ICE Future, o açúcar bruto fechou em alta apenas na primeira tela, que expira amanhã, com os contratos março/22 comercializados a 18,53 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 5 pontos no comparativo com a véspera. O lote maio/22 fechou praticamente estável com queda de apenas 1 ponto, contratado a 17,88 cts/lb. Os demais lotes caíram entre 1 e 4 pontos. Segundo a Reuters, os preços do petróleo permaneceram perto das máximas de sete anos ontem, diante de preocupações de que as sanções ocidentais à Rússia por enviar tropas para o leste da Ucrânia possam afetar o fornecimento de energia. "O aumento dos preços da energia pode levar as usinas de cana-de-açúcar do maior produtor de açúcar, o Brasil, a desviar a produção do açúcar para o etanol, um biocombustível à base de cana". Operadores disseram à Reuters, também, que o açúcar também está ganhando apoio devido a uma recente enchente que pode atrapalhar ainda mais a colheita chinesa de açúcar e da desaceleração na colheita tailandesa. Açúcar branco Em Londres, na ICE Future Europe, o mercado fechou em alta em 3 lotes, estável no lote outubro/22 e queda em outros 4 contratos. A tela maio/22 fechou contratada a US$ 495,70 a tonelada, valorização de 1,40 dólar no comparativo com os preços de terça-feira. Já a tela agosto/22 caiu 10 cents de dólar, negociada a 484,30 dólares a tonelada. Os demais lotes oscilaram entre queda de 40 cents e alta de 30 cents de dólar. Açúcar cristal No mercado interno a quarta-feira foi de baixa nas cotações do açúcar cristal medidas pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada a R$ 139,34 contra R$ 142,39 a saca praticada na terça-feira, desvalorização de 2,14% no comparativo entre os dias. No mês o indicador já acumula perda de 5,24%. Etanol hidratado Pelo quarto dia seguido o etanol hidratado fechou desvalorizado pelo Indicador Diário Paulínia nesta quarta-feira (23). O biocombustível foi negociado a R$ 2.920,00 o m³, contra R$ 2.923,50 o m³ praticado na véspera, queda de 0,12% no comparativo. No mês o indicador acumula perda de 6,32% nas cotações do etanol hidratado.

Rogerio Mian Fonte: Agência UDOP de Notícias


3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page