Buscar
  • Ecoflex Trading

Petrobras trabalha com Modec para evitar atrasos em plataforma de Búzios


A Petrobras está trabalhando com a companhia japonesa de engenharia Modec para evitar atrasos na implantação da quinta plataforma de produção do campo de Búzios, disse o gerente executivo do ativo nesta segunda-feira. A estatal brasileira propôs nove plataformas para Búzios, seu projeto de águas profundas com ritmo mais acelerado de crescimento, no plano de negócios 2021-2025. Quatro unidades já estão em operação, e uma quinta está programada para iniciar produção no segundo semestre de 2022. O campo poderia suportar 12 plataformas do tipo FPSO na próxima década, disse Marcio Kahn, que chefia o projeto da Petrobras. Essas 12 unidades permitiriam à empresa ampliar a produção de petróleo em Búzios para mais de 2 milhões de barris por dia (bpd), ante cerca de 600 mil bpd atualmente. "Búzios é uma assinatura, um campo enorme. Está muito alinhado com nossa estratégia", disse Kahn. A Modec deve entregar e operar a quinta FPSO no ano que vem, enquanto uma sexta instalação para Búzios deve chegar em 2024. A Petrobras iniciou produção em Búzios em 2018, e desde então bombeou cerca de 400 milhões de barris. No ano passado, o campo foi responsável por 34% da produção de petróleo da companhia na região do pré-sal. "Estamos muito orgulhosos de todas as nossas conquistas, mas agora queremos mais, aplicando inovações ultraprofundas para gerar energia sustentável e confiável", afirmou Kahn.


Texto extraído do portal Notícias Agrícolas

Fonte: Reuters

0 visualização0 comentário