Buscar
  • Ecoflex Trading

Pelo segundo mês seguido, bandeira tarifária continuará no valor máximo


Entretanto, novos valores das bandeiras foram divulgados no dia 29 de junho, com a previsão de ajustes maiores que 20%.


A bandeira tarifária vermelha patamar 2 foi mantida para o mês de julho pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) devido à seca nas principais bacias hidrográficas do Brasil, dificultando a geração das hidrelétricas e demandando o acionamento de termelétricas com custos elevadíssimos.


No entanto, os novos valores das bandeiras foram divulgados no dia 29 de junho depois da deliberação da diretoria colegiada da Aneel, momento no qual foi estabelecida a atualização da taxa extra.


Há pouco tempo, André Pepitone, o diretor-geral da Aneel, afirmou que, com objetivo de cobrir o custo da produção termelétrica, os valores das bandeiras tarifárias da cor vermelha serão reajustados em mais de 20%. Dessa forma, todos os consumidores atendidos pelas concessionárias de distribuição de energia elétrica contarão com valores ainda mais elevados nas contas de luz.


A previsão da equipe técnica da Aneel é de que ocorra um reajuste de 10% na bandeira patamar 1: para cada 100 KWh, passaria de R$ 4,169 para R$ 4,599. Já a bandeira patamar 2 contará com um ajuste de 21%, indo de R$ 6,243 para R$ 7,571 para cada 100 Kwh.

Entretanto, esses valores podem ser superiores, de acordo com a antecipação de Pepitone no dia 15 de junho durante reunião na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados.


Cenário crítico

A Aneel anunciou, em comunicado apresentado no dia 25 de junho, que o próximo mês começa com a mesma expectativa hidrológica desvantajosa observada em junho, com os principais reservatórios do SIN em níveis significativamente baixos para este período do ano. Isso retrata a diminuição da capacidade de geração hidrelétrica e uma alta urgência de acionamento de recursos termelétricos.


“Essa conjuntura pressiona os custos relacionados ao risco hidrológico e o preço da energia no mercado de curto prazo, levando à necessidade de acionamento do patamar 2 da bandeira vermelha”, destacou a Aneel.


De acordo com o Operador Nacional do Sistema (ONS), até o final de junho, os reservatórios irão atingir os níveis de 42,6% no Sul, 53,6% no Nordeste e 80,2% no Norte. Estima-se que as unidades situadas na região Sudeste/Centro-Oeste finalizem o mês de julho com um volume de água de 26,6%.


Para julho, as afluências seguem abaixo da média em todos os sistemas. A estimativa é de que, no Norte, a Energia Natural Afluente (ENA) atinja 80% da média histórica.  As afluências poderão alcançar 63% na região Sudeste/Centro-Oeste. Logo depois vem o Sul, com 53%. No Nordeste, a previsão da média histórica é de 43%.



Fonte: Portal Solar

1 visualização0 comentário