Buscar
  • Ecoflex Trading

Navegação no Canal de Suez segue suspensa; autoridades tentam fazer meganavio flutuar

Cargueiro de 220 mil toneladas e 400 m de comprimento é maior que a Torre Eiffel, encalhou em uma das principais passagens náuticas do mundo e bloqueou completamente o trânsito


Dois dias após um meganavio de 220 mil toneladas e 400 metros de comprimento bloquear totalmente o trânsito no Canal de Suez, uma das principais passagens náuticas do mundo, a navegação segue suspensa e as autoridades que administram o canal continuam tentando desencalhar a embarcação.


A Autoridade do Canal de Suez (SCA, na sigla em inglês) informou nesta quinta-feira (25) que segue com os trabalhos de flutuação para tentar tirar o navio da margem do canal e que a navegação está temporariamente suspensa, enquanto o procedimento não terminar.

O trabalho envolve escavar a área onde a proa do navio encalhou, empurrar a embarcação a partir do solo e usar oito grandes rebocadores, um deles com um poder de reboque de 160 toneladas, para tentar mudar a posição do navio, que está bloqueando totalmente o canal.

A previsão era que o desencalhe terminasse ontem, quarta-feira (24), mas a administração do canal afirmou que "um cenário alternativo teve que ser adotado".


"Assim que retirarmos este barco, pronto: as coisas voltarão ao normal. Se Deus quiser, terminaremos hoje", afirmou o presidente da SCA, Osama Rabie.


Dias ou semanas? Mas Peter Berdowski, CEO da empresa especializada em dragagem Boskalis, que enviou uma tripulação ao local, afirmou a uma TV holandesa que os dados até agora sugerem que "não é realmente possível soltá-lo" e que pode ser necessário descarregá-lo — um processo que pode levar semanas.


Segundo o jornal britânico "The Guardian", Berdowski disse que a proa e a popa do navio foram levantadas contra os dois lados do canal. "Não podemos excluir que pode levar semanas, dependendo da situação".


“É como uma enorme baleia encalhada. É um peso enorme na areia", afirmou o especialista. "Podemos ter que trabalhar com uma combinação de redução do peso — removendo contêineres, óleo e água do navio —, rebocadores e dragagem de areia".


O meganavio Ever Given pesa 220 mil toneladas, tem 400 metros de comprimento e é maior que a Torre Eiffel, em Paris, e o Empire State, em Nova York. Ele pertence à empresa Evergreen, tem bandeira panamenha e foi construído em 2018.


Seu destino era o porto de Rotterdam, na Holanda, e ele perdeu a capacidade de navegar em meio a ventos fortes e uma tempestade de areia, segundo a administração do canal.

A importância do canal A embarcação encalhou no trecho sul do canal, no km 151, e o acidente causou impacto significativo no tráfego entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Vermelho.


Ao menos 150 navios carregados com petróleo, peças automotivas e bens de consumo se acumulam em ambos os lados do canal, a principal rota do comércio Ásia-Europa, segundo o "Guardian".


Cerca de 50 navios passaram por dia no canal em 2019, o que representa quase um terço do tráfego de navios de contêineres do mundo.


Inaugurado em 1869, o canal une o Golfo de Suez e o Mar Mediterrâneo e acompanhou a evolução do comércio marítimo global, a ponto de receber atualmente navios gigantes de até 240 mil toneladas.


A rota concentra cerca de 10% do comércio marítimo internacional e grande parte do petróleo transportado por mar, segundo especialistas. O canal enfrenta a concorrência da rota pelo Cabo de Boa Esperança, mas reduz pela metade a distância entre os portos do Golfo e de Londres.


Meganavio encalha no Canal de Suez

Inaugurada em 1869, ligação entre o Mar Mediterrâneo e o Mar Morto está completamente bloqueada



Fonte: G1


12 visualizações0 comentário