Buscar
  • Ecoflex Trading

‘Furacão Laura’ poderá ser a maior ameaça ao petróleo dos EUA dos últimos 15 anos


A indústria da energia dos EUA começou a preparar-se para a chegada do furacão Laura, esta terça-feira, cortando a produção de petróleo a uma taxa próxima à praticada aquando furacão Katrina de 2005 e interrompendo a refinação de petróleo nas fábricas ao longo da costa do Texas (Louisiana).


A tempestade ganhará força rapidamente e vai tornar-se um grande furacão com ventos constantes de 115 milhas por hora (185 km/h) quando atingir a costa no início da quinta-feira, de acordo com o National Hurricane Center.


A intensificação trará pelo menos uma tempestade de 10 pés (3 metros) para a costa superior do Texas e poderá produzir um furacão devastador de categoria 4, disse Chris Kerr, meteorologista do provedor de dados de agricultura, energia e clima DTN, citado pela ‘Reuters’.


Na segunda-feira, a tempestade fechou 1,5 milhão de barris por dia (bpd) da produção de petróleo bruto, 82% da produção offshore do Golfo do México, perto da paralisação de 90% que o Katrina trouxe há 15 anos.


As refinarias paralisaram instalações que processam pelo menos 1,8 milhão de bpd de processamento de petróleo, 10% da capacidade total dos EUA, de acordo com as contas da Reuters. Os preços da gasolina subiram hoje com as paralisações e aumentaram 10,3% desde sexta-feira.


A tempestade atingirá uma área que representa mais de 45% da capacidade total de refinação de petróleo dos EUA e 17% da produção de petróleo, de acordo com a Administração de Informação de Energia.


Cheniere Energy Inc, o maior exportador dos Estados Unidos de gás natural liquefeito, evacuou funcionários e suspendeu as operações em seu terminal de exportação de LNG de Sabine Pass, na fronteira do Texas.


A Motiva Enterprises, Total SA e Valero Energy começaram as operações de corte em suas refinarias de Port Arthur, Texas, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto. Os três combinados processam mais de 900.000 bpd de óleo.


A Total e a Motiva confirmaram o encerramento das refinarias, enquanto a Exxon Mobil deu nota de que estava a começar a fechar a produção na grande refinaria de Beaumont, Texas, e a reduzir a produção em Baytown, Texas.


Fonte: Executivedigest

5 visualizações