Buscar
  • Ecoflex Trading

Etanol: Análise Conjuntural Agromensal Março/22 Cepea/Esalq/USP


De abril/21 a março/22, o Indicador CEPEA/ESALQ do hidratado teve média de R$ 3,2752/litro, aumento de 34,6% na comparação com os R$ 2,4336/litro de igual período da temporada anterior, em termos reais (as médias mensais foram deflacionadas pelo IGP-M de março/22). No caso do etanolanidro, a média do Indicador CEPEA/ESALQ foi de R$ 3,7714/litro na safra 2021/22, sendo 38,5% superior à da temporada anterior. A sustentação ao longo da safra veio especialmente da menor oferta.


Segundo dados da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), a produção de etanol (considerando-se hidratado e anidro) no Centro-Sul brasileiro caiu 8,9% na temporada 2021/22 frente à anterior. Em março, especificamente, foram observados avanços quase que sucessivos nos valores dos dois. Assim, a média (considerando-se as semanas cheias do mês) do Indicador do hidratado fechou a R$ 3,2104/litro, elevação de 11,7% na comparação com a média de fevereiro.


Quanto ao anidro (considerando-se somente o mercado spot), a média das semanas cheias de março foi de R$ 3,5572/litro, incremento de 8,9% sobre a do mês anterior. O mês de março foi marcado pela menor oferta, em meio ao período de entressafra, e pela volta gradativa dos compradores ao longo das semanas. O recesso de carnaval levou demandantes a realizarem a reposição de estoques, elevando o volume negociado no período. Inclusive, o volume de negócios de etanolhidratado captado pelo Cepea em março praticamente dobrou (crescimento de 98,1%) frente ao do mês anterior.


Nas bombas do estado de São Paulo, a relação entre os preços do etanolhidratado e da gasolina C seguiu mais vantajosa para o combustível renovável no mês passado. Entre 1º e 31 de março, o percentual caiu para 68,7%, contra 71,3% em fevereiro. A média de preço do combustível fóssil foi de R$ 6,678/litro, e a do hidratado, de R$ 4,589/litro, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).


NORDESTE


Os preços do etanol subiram no fim do período oficial de safra no Nordeste. No estado de Alagoas, o Indicador mensal CEPEA/ESALQ do hidratado fechou em R$ 3,2270/litro em março, alta de 9,06% frente a fevereiro. Para o anidro, o Indicador mensal CEPEA/ESALQ foi de R$ 3,6240/litro, elevação de 2,70% na mesma comparação. Em Pernambuco, o Indicador mensal CEPEA/ESALQ do hidratado fechou em R$ 3,2913/litro em março, aumento de 8,97% em relação a fevereiro.


Para o anidro, o Indicador mensal CEPEA/ESALQ fechou em R$ 3,7357/litro, avanço de 3,38%. O Indicador mensal do hidratado CEPEA/ESALQ da Paraíba registrou alta de 8,14% frente a fevereiro, fechando em R$ 3,2884/litro em março. Para o Indicador mensal do anidro, por outro lado, a média foi de R$ 3,6942/litro, leve baixa de 0,19% no mesmo comparativo. Segundo colaboradores do Cepea, a demanda por etanol esteve mais aquecida em março.


Além disso, algumas unidades produtoras dos estados nordestinos já finalizaram a moagem e os estoques dos produtos também já foram comercializados, restringindo a oferta de etanol na região. Além disso, as cotações acompanharam o movimento altista dos preços no Centro-Sul. De acordo com dados captados pelo Cepea, as vendas de etanolhidratado das usinas do estado de Pernambuco no spot atingiram, em março, o maior volume durante a safra (de set/21 a mar/22). Comparado ao mesmo mês da temporada passada, o volume vendido em março mais que dobrou na temporada 21/22.


Fonte: www.udop.com.br

8 visualizações0 comentário