Buscar
  • Ecoflex Trading

Estoques de etanol do Centro-Sul estão 26,8% menores do que há um ano

Com 3,75 bilhões de litros, usinas seguem armazenando mais do que em safra anterior à pandemia de covid-19


Com o andamento da safra de cana-de-açúcar 2021/22, os tanques de etanol estão ficando cada vez mais cheios. Segundo números divulgados ontem, 28, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), as usinas do Centro-Sul mantinham estocados 3,75 bilhões de litros em 16 de junho.


Em comparação com o volume observado um ano antes, de 5,13 bilhões de litros, há uma queda de 26,8%. Porém, vale observar que os meses iniciais da safra 2020/21 foram fortemente afetados pela queda na demanda por combustíveis provocada pela pandemia de covid-19. Em relação ao mesmo período da safra 2019/20, por exemplo, os estoques atuais têm uma alta de 17%.


Além disso, os números mostram uma desaceleração na taxa de crescimento dos estoques. Na segunda quinzena de maio deste ano, o volume armazenado subiu 27,1%, o que então era equivalente a 696,5 milhões de litros. Já na 1ª quinzena de junho, a elevação foi de 14,8%, ou 483,2 milhões litros.


De acordo com a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), a produção de etanol na quinzena foi de 1,69 bilhão de litros, queda anual de 8,7%. Ao mesmo tempo, as vendas foram de 1,19 bilhão de litros, o que representaria uma estabilidade em relação ao mesmo período do ano passado.


Hidratado e anidro

Um dos principais motivos para a redução na fabricação foi a menor quantidade de dias de moagem, após paralisações provocadas por chuvas na região. Ainda assim, a produção de etanol anidro teve um avanço anual de 26,1%, com 710,65 milhões de litros; já o hidratado teve diminuição de 24%, para 975,20 milhões de litros.


“A produção de etanol apresentou queda inferior àquela registrada para açúcar, indicando que as unidades produtoras priorizaram a produção do etanol anidro”, explicou o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues.


Ainda de acordo com a entidade, as vendas de hidratado no mercado doméstico somaram 702,98 milhões de litros na primeira metade de junho, queda anual de 6%. Ao mesmo tempo, as comercializações de etanol anidro tiveram um aumento de 31,6%, para 419,90 milhões de litros.


Esta preferência das usinas e do mercado consumidor também se reflete nos estoques. Os tanques de anidro somavam 1,41 bilhão de litros em 16 de junho, queda de 20,3% na comparação com um ano antes; em relação à 2019/20, por sua vez, o volume é 7,1% maior. Além disso, o crescimento quinzenal foi de 22,5%, ficando 7,7 pontos percentuais acima da média para o biocombustível.


Já o armazenamento de hidratado era de 2,34 bilhões de litros na mesma data, ficando 30,3% abaixo do patamar de 2020/21 e 23,9% acima ante 2019/20. Na quinzena, o volume subiu 225,3 milhões de litros, o equivalente a 10,6%, mesmo com a menor produção.


https://www.novacana.com/



Fonte: Nova Cana

2 visualizações0 comentário