top of page

Energia armazenada no Sudeste deverá ser a mais alta em 16 anos


O grande volume de chuvas tem contribuído para elevar o nível dos reservatórios das hidrelétricas no Brasil. Segundo o Operador Nacional do Sistema (ONS), o subsistema Sudeste/Centro-Oeste, responsável por 70% da capacidade de armazenamento do país, deverá atingir, ao final de março, o nível de armazenamento mais alto desde 2007, isto é, há 16 anos, chegando a 83,7% de energia armazenada.

De acordo com o Operador, a projeção de armazenamento para os demais subsistemas ao final de março é de 99,3% no Norte, 90,8% no Nordeste e 82,7% no Sul. As hidrelétricas de Itaipu (14.000MW), Belo Monte (11.233 MW) e Teles Pires (1.820 MW) estão com reservatórios em 100% de armazenamento.

As chuvas também têm contribuído para manter o Custo Marginal de Operação (PMO) zerado pela décima quarta semana seguida e equalizado em todo o país, ou seja, há mais de três meses. O resultado disso é que o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) segue em patamar mínimo, cotado a R$69,04/MWh.

Para a semana operativa entre os dias 25 e 31 de março, há perspectiva de afluências superiores a 100% da Média de Longo Termo (MLT) em três subsistemas. O principal destaque é o Sul, cuja Energia Natural Afluente (ENA) está com índice previsto de 116% da MLT. Para o Norte, a indicação é atingir 105% da MLT e para o Sudeste/Centro-Oeste a projeção é de 104%. A perspectiva para o Nordeste é de 56% da MLT. Os resultados são referentes ao último dia do mês corrente.

Carga em queda

Os cenários prospectivos de carga são de desaceleração no Sistema Interligado Nacional (SIN) e em dois subsistemas. O SIN pode registrar contração de 1,1% (74.276 MWmed). O mesmo comportamento na carga também é esperado para o Sudeste/Centro-Oeste, 4,9% (42.520 MWmed), e para o Nordeste, 0,3% (11.536 MWmed).

Para os demais submercados, a estimativa é de aumento. Para o Sul, o avanço deve atingir 4,1% (13.636 MWmed) e para o Norte a alta prevista é de 15,1% (6.584 MWmed). Os dados comparam o percentual estimado para o final de março de 2023 ante o mesmo período do ano passado.

Segundo o ONS, as previsões de carga da próxima semana operativa consideraram a expectativa de declínio das temperaturas e de ocorrência de chuva nas capitais do Sudeste/Centro-Oeste e Sul no início da próxima semana, em função da passagem de uma frente fria. As capitais dos subsistemas Nordeste e Norte deverão seguir com termômetros sem muitas variações durante os próximos dias.


Fonte:https://canalsolar.com.br/

5 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page