top of page

Consumo de eletricidade em janeiro é o segundo maior da história

O consumo de eletricidade no Brasil alcançou 46.715 GWh em janeiro, o que representa um crescimento de 9,1% em comparação com o mesmo período do ano passado.

O indicador é fundamental para compreensão do comportamento da sociedade e do desempenho da economia brasileira.

Segundo a EPE (Empresa de Pesquisa Energética), esse é o segundo maior consumo mensal de toda a série histórica desde 2004. Desde outubro de 2023, o país registra recordes de uso de eletricidade.

O desempenho em janeiro é explicado pelo aumento das temperaturas (por conta dos consumidores fazerem mais uso de equipamentos de refrigeração) e pela expansão de setores como comercial e industrial.

“Desde outubro de 2023, o país registra consumos recordes de eletricidade. Impulsionados pelas altas temperaturas, os consumos das classes residencial e comercial registraram taxas de expansão de dois dígitos pelo quarto mês consecutivo. A indústria também consumiu mais”, destaca a EPE.

Puxado pelo calor e clima seco, o consumo residencial foi de 15.396 GWh em janeiro, expansão de 15,7%. Essa é a maior taxa de crescimento desde 2004.

“Além disso, a alta no número de consumidores residenciais – muito em função das ações de combate às perdas e o bom desempenho de indicadores econômicos do Brasil, como a queda na taxa de desemprego e o aumento da renda também favoreceram o crescimento do consumo da classe”, diz a EPE.

O consumo da classe comercial foi 10,3% mais alto no período, chegando a 8.908 GWh. A temperatura, o bom comportamento do comércio e a expansão de consumidores comerciais influenciaram no consumo da classe.

Por sua vez, o consumo industrial (15.498 GWh) avançou 3,7% em janeiro. Entre os setores monitorados que mais consumiram, destaque para metalurgia (5,5%), extração de minerais metálicos (5,4%) e fabricação de papel e celulose (3,7%). No total, 20 dos 37 setores monitorados apresentaram variação positiva.

Mercado Regulado e Mercado Livre

O consumo no Mercado Livre de Energia, ambiente onde se encontram muitas empresas, atingiu 18.504 GWh, crescimento de 8,7% em relação a janeiro de 2023. Na comparação anual, houve o aumento de 22,4% no número de consumidores livres.

De acordo com a EPE, “além da migração de consumidores do mercado regulado, também contribuíram para o resultado no mercado livre a expansão no consumo da indústria, em especial dos mais eletrointensivos, e na parcela livre da classe comercial”.

Já o mercado regulado consumiu 28.211 GWh, alta de 9,4%. Houve aumento no de 1,8% no número de unidades consumidoras.

O Mercado Livre representou 39,6% do consumo nacional de energia elétrica em janeiro. O mercado regulado, 60,4%.

Carga de energia

O ONS (Operador Nacional do Sistema) também divulgou a carga de energia do SIN (Sistema Interligado Nacional). Em janeiro, a carga ficou em 79.583 MWmed, aumento de 6,7%. Nos últimos 12 meses, a expansão foi de 5,7%.

Lembrando que a carga de energia é a soma do consumo mais as perdas elétricas próprias do transporte de eletricidade. Os dados do ONS e da EPE divergem porque ambos usam métricas diferentes, porém fundamentais para entender o comportamento do setor elétrico.


6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page