Buscar
  • Ecoflex Trading

Com reajuste de diesel, governo federal discute incluir benefício a motoristas em PEC - Combustíveis



A iniciativa, que já teria recebido sinal verde da equipe econômica, poderia ter um impacto fiscal de R$ 4,5 bilhões, segundo cálculos feitos por integrantes da base aliada

Com o reajuste no preço do diesel, o governo federal discute incluir na PEC dos Combustíveis uma espécie de auxílio para motoristas e caminhoneiros.

Na votação do projeto de lei aprovado na semana passada, que estabeleceu um teto de 17% sobre o ICMS, um dos destaques incluía a criação de um benefício de até R$ 300 para categorias de transporte.

A iniciativa, que tinha como prioridade beneficiários do Auxílio Brasil, não teve, no entanto, votos suficientes no Senado Federal. Agora, diante do novo cenário, o governo federal considera fazer uma nova tentativa.

A emenda foi apresentada pelo senador Eduardo Braga (MDB-AM) e previa um impacto fiscal de R$ 3 bilhões. A ideia é que o benefício seja mensal e pago até o fim do ano para motoristas autônomos do transporte individual, incluídos de táxi e de aplicativos.

Com o novo aumento do diesel, assessores do governo defendem que sejam incluídos também caminhoneiros autônomos, o que poderia elevar o impacto fiscal para R$ 4,5 bilhões.

O projeto, segundo relatos feitos à CNN, já teria recebido sinal verde da equipe econômica, segundo a qual a medida ficaria dentro do teto fiscal.

A leitura do cenário atual, feita por assessores do governo, é de que uma elevação do diesel durante a campanha eleitoral pode fomentar movimentos grevistas, causando prejuízos à economia brasileira. O pagamento de um auxílio aos caminhoneiros tem sido encarado como um “seguro barato” para proteger a atividade econômica no país, apesar de haver o reconhecimento de que a medida seria apenas um alívio aos caminhoneiros autônomos, sem cobrir na totalidade a inflação sobre o combustível.

O Palácio do Planalto, porém, ainda tem dúvidas se a concessão do benefício poderia ser inviabilizada por causa da Lei das Eleições.

A PEC dos Combustíveis, que deve ser analisada pelo Senado Federal na próxima semana, propõe uma contrapartida às unidades da federação que zerarem o ICMS para diesel e gás.

Fonte: www.cnnbrasil.com.br


0 visualização0 comentário