top of page

Cadeia da soja e do biodiesel faturou 10,24% a mais nas exportações em 2023




O valor exportado pela cadeia produtiva da cadeia da soja e do biodiesel aumentou 10,24% no ano passado em relação a 2022, para US$ 67,56 bilhões. Em volume, houve incremento de 24,59% do total embarcado. Os preços recuaram 11,52%. Houve aumento em valor nas exportações de soja, biodiesel e farelo de soja. Para óleo de soja, glicerol e proteína de soja houve retração em valor.



Os dados fazem parte do relatório do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, em parceria com a Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais), e divulgado nesta quinta-feira (4/4).



De acordo com o estudo, o aumento das exportações da cadeia de soja e do biodiesel pode ser atribuído a uma demanda global crescente por produtos agrícolas, especialmente por parte da China, que é o principal destino das exportações brasileiras da oleaginosa.



Os embarques aumentaram para a China (21,86%), América do Norte (143,41%), Leste Asiático (2,24%) e Sudeste Asiático (1,23%). Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior, em 2023, as exportações da cadeia de soja e do biodiesel totalizaram 127,34 milhões de toneladas, com aumento de 24,59% em relação ao ano anterior.



Em relatório, o Cepea destacou que a recuperação do rebanho suíno chinês aos níveis pré-surto de peste suína africana, em 2018, contribuiu para esse aumento, uma vez que a soja é um componente essencial na alimentação animal. Outro fator que estimulou o aumento das exportações brasileiras na cadeia foi a quebra de safra na Argentina, um dos principais concorrentes do Brasil nesse mercado.



As exportações da soja em grão aumentaram 14,36% em 2023 em valor e 29,39% em volume. Os preços médios recuaram 11,62%. O aumento das exportações de soja in natura, segundo o Cepea, pode ser atribuído a diversos fatores, com destaque para o recorde na produção brasileira, a redução da safra de soja na Argentina e o aumento da demanda por parte da China. Outro fator que contribuiu foram as tensões geopolíticas entre os governos dos Estados Unidos e da China.



O valor exportado de farelo de soja em relação ao ano anterior cresceu 11,25%, enquanto o volume embarcado aumentou 10,42%. Os preços de exportação apresentaram uma elevação modesta de 0,75%. A redução da moagem de soja na Argentina contribuiu para esse aumento dos embarques brasileiros.



Com relação ao óleo de soja, as exportações em valor recuaram 36,06%. Em volume, houve queda de 10,18%. Os preços de exportação apresentaram uma redução de 28,82%. O desempenho é explicado pelo aumento do consumo interno e pelos preços internacionais desfavoráveis, que desestimularam os embarques.



O biodiesel, por outro lado, teve aumento em valor exportado de 117,51%, com alta de 157,30% em volume e redução do preço externo em comparação ao ano anterior de 15,39%. O aumento das exportações do biodiesel nacional é atribuído, em parte, ao crescimento da oferta brasileira e da demanda mundial do produto, impulsionado por políticas internacionais que visam padrões mais sustentáveis e ambientalmente conscientes.



Na análise do comportamento agregado das importações, o valor da cadeia produtiva no ano de 2023 apresentou redução, de 46,87%, em relação ao ano anterior. Com isso, na comparação anual, o saldo comercial da cadeia produtiva cresceu 10,50% em valor – influenciado pelo avanço das exportações.


11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page