Buscar
  • Ecoflex Trading

Biocombustíveis da Raízen estão no foco da estratégia de transição energética da Shell


A Raízen tem um papel central na estratégia do grupo Shell para a transição energética. A distribuidora, formada por uma parceria da petrolífera anglo-holandesa com a Cosan, tem foco no comércio de biocombustíveis. A intenção é avançar ainda mais na segunda geração do produto, em biogás e biometano.


“Quando falamos da estratégia do grupo para a transição, olhamos de forma integrada com a Raízen”, afirmou o presidente da Shell Brasil, André Araujo, em entrevista coletiva para marcar os 108 anos da companhia no país.


A transição energética está no centro da estratégia do grupo para a próxima década. A intenção é acabar com as emissões líquidas até 2050. “Queremos colocar juntos a redução de carbono e o capital”, disse o executivo. No Brasil, a Shell ainda desenvolve projetos de energia solar, gás para a geração térmica e avalia projetos de geração eólica no mar.


Principalmente por conta do pré-sal, o gás natural é o segmento de mercado de maior interesse para a Shell no País. “O gás não é energia renovável. É um hidrocarboneto (como o petróleo) com menor volume de emissão. O grupo reconhece que as estratégias (para a transição energética) são diferentes em cada país. A Europa é uma grande transformadora de gás e tem a estratégia de ter segurança no abastecimento junto com a descarbonização”, acrescentou.


Fernanda Nunes

Fonte: Agência Estado

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo