top of page

Ampliação de Abreu e Lima vai aumentar produção de diesel S10 em 13 mil m³ por dia

A retomada nas obras do segundo trem de refino de Abreu e Lima (RNEST) deverá acrescentar 13 mil m³ por dia em capacidade produtiva de diesel S10. A retoma das obras – que haviam sido paralisadas em função da Operação Lava Jato – havia sido aprovada pela direção da Petrobras em meados do ano passado, mas só foi efetivada nessa quinta-feira (18).

A cerimônia que marca o reinício das atividades no canteiro da refinaria em Ipojuca, Pernambuco está marcada para hoje e deverá contar com a presença do presidente Lula e de Jean Paul Prates.O investimento na ampliação da RNEST está previsto no Plano Estratégico 2024-28 que foi divulgado em novembro pela Petrobras e faz parte do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal.

Já em fase de contratação, a construção do Trem 2 da refinaria pernambucana tem data para finalização em 2028, quando ela passará a ter capacidade para processar 260 mil barris de petróleo por dia. As obras do Trem 2 estão previstas para o segundo semestre de 2024.Além da conclusão do Trem 2, o Projeto RNEST prevê a construção da primeira unidade SNOX do refino brasileiro, que será responsável por transformar óxido de enxofre (SOx) e óxido de nitrogênio (NOx) em um novo produto para comercialização. As obras desta parte já estão em andamento e a unidade começa a operar em 2024.

Ainda esse ano também começam as obras para a ampliação da produção do Trem 1 (Revamp), que proporcionará aumento de carga, melhor escoamento de produtos leves e maior capacidade de processamento de petróleo do pré-sal. A expectativa de conclusão do Revamp (ampliação) do Trem 1 é no primeiro trimestre de 2025.

Segundo o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, os investimentos da Petrobras em refino, a exemplo da retomada das obras da Refinaria Abreu e Lima (RNEST), poderão contribuir, de forma rentável, para tornar o país autossuficiente na produção de combustíveis, reduzindo a demanda por importação. “Considerando todos os projetos previstos de adequação e o aprimoramento do parque industrial e da cadeia de abastecimento e logística, a Petrobras estima um aumento de produção de diesel da ordem de 40% nos próximos anos”, adiantou Prates.

Nos próximos cinco anos, a Petrobras vai investir US$ 17 bilhões em projetos de refino, transporte e comercialização no Brasil para ampliar sua capacidade de produção de diesel e aumentar gradualmente a oferta de produtos para mercado de baixo carbono.


8 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page