top of page

Açúcar em alta e milho em baixa devem garantir lucratividade das usinas brasileiras


O cenário desvantajoso para as vendas de etanol não deve levar a rebaixamentos na classificação de créditos de empresas do setor, acredita a Fitch Ratings. Em relatório, a agência aponta que os elevados preços do açúcar e as boas perspectivas para a atual safra de cana-de-açúcar devem sustentar a lucratividade das sucroenergéticas. Desta forma, apenas as processadoras de cana que não possuem fábricas do adoçante terão suas margens pressionadas. Entre as companhias que usam o milho, por sua vez, a queda na lucratividade deve ser moderada, já que os preços da matéria-prima também estão mais baixos. O relatório, assinado pelos analistas Flávio Fujihira, Marcelo Pappiani e Ricardo Junqueira, observa que a Fitch acompanha de perto os números de cinco empresas do setor. Dentro desse grupo, Jalles e Zilor possuem um mix de produção de, aproximadamente, 40% de açúcar e 60% de etanol, enquanto FS e Inpasa utilizam apenas milho. Além disso, a listagem inclui uma gigante do segmento. “A Raízen é a maior produtora de etanol do Brasil e possui um modelo de negócios único que inclui distribuição de combustível e comercialização de açúcar e etanol produzidos por terceiros”, afirma e completa: “É provável que a Raízen continue relatando resultados fortes, o que se alinha com seus ratings de grau de investimento”. De acordo com o documento, a Fitch projeta uma alavancagem líquida inferior a 3 vezes para essas cinco empresas em 2023, o que se alinha com a margem de classificação. “Com exceção da Inpasa, os emissores possuem liquidez adequada, pois estão menos expostos à alta volatilidade do setor e à geração operacional de caixa”, pondera. Conforme a Fitch, a Inpasa recebe esta ressalva por receios com sua posição de caixa limitada e seu perfil de endividamento. Ainda assim, maiores riscos de refinanciamento seriam mitigados pelo estoque de milho da companhia e por sua geração de fluxo de caixa livre. No texto completo (exclusivo para assinantes NovaCana), veja 14 perspectivas dos especialistas da Fitch para o setor de açúcar e etanol e para as empresas analisadas pela agência de classificação de risco: 1. Incertezas vindas da Petrobras 2. Petróleo mais barato 3. Preço do etanol 4. Preço do açúcar 5. Preço do milho 6. Participação do etanol de milho 7. Consumo de etanol hidratado 8. Metas do RenovaBio 9. Lucratividade do etanol de milho 10. Mix de produção 11. Produção e distribuição 12. Aumento nos investimentos 13. Dívida e alavancagem 14. Análise de liquidez

Fonte: https://www.novacana.com

12 visualizações0 comentário
bottom of page