Buscar
  • Ecoflex Trading

Açúcar: contratos futuros fecham em baixa; analistas esperam movimento de queda nos próximos dias


Após atingir há cerca de 10 dias a máxima de três anos e meio, aos poucos os preços do açúcar nos mercados internacionais vão se ajustando, com fundos interrompendo suas comprar e poucos fundamentos novos. Ontem (28), a commodity fechou em baixa na bolsa de Nova York, com o açúcar bruto negociado, no lote março/21, em 15,59 centavos de dólar por libra-peso, recuo de 21 pontos no comparativo com a véspera. Já a tela para maio/21 depreciou 17 pontos, negociada em 14,94 cts/lb. Os demais contratos recuaram entre 15 e 20 pontos na ICE. Analistas ouvidos pela Agência Reuters destacaram que o mercado perdeu ímpeto altista após atingir o maior nível em mais de três anos e meio no início deste mês, mas que ainda há sólido suporte ao redor dos 15,50 centavos. "Por enquanto, o macro provavelmente vai determinar a direção, mas a incapacidade do mercado de subir após os ganhos iniciais ontem talvez sugira que um movimento de queda é mais provável do que uma volta às máximas de duas semanas atrás", disse um corretor ouvido pela Reuters. Londres Em Londres o açúcar branco também fechou em baixa na quinta-feira em todos os lotes. O vencimento março/21 foi vendido a US$ 441,60 a tonelada, recuo de 2,80 dólares no comparativo com a véspera. Já a tela para maio/21 foi comercializada em US$ 428,30 a tonelada, baixa de 4,10 dólares. Os demais contratos se desvalorizaram entre 3,80 e 4,50 dólares. Mercado doméstico No mercado interno o açúcar cristal fechou em alta pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. Ontem, a saca de 50 quilos foi negociada em R$ 108,25, contra R$ 107,35 da véspera, valorização de 0,84% no comparativo entre as datas. Etanol diário O etanol hidratado também voltou a subir nesta quinta pelo Indicador Diário Paulínia. O metro cúbico do biocombustível foi negociado ontem em R$ 2.203,00, contra R$ 2.194,00 da véspera, alta de 0,41% no comparativo entre os dias. No mês o indicador acumula alta de 4,48%.


Rogério Mian Fonte: Agência UDOP de Notícias

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo