Buscar
  • Ecoflex Trading

Açúcar: contratos futuros encerram a semana em alta; no ano commodity subiu 14%



Os contratos futuros do açúcar fecharam a sexta-feira (16) em alta nas principais bolsas internacionais. A commodity, segundo analistas de mercado, valorizou, desde o início do ano, 14%, percentual considerado bom pelos operadores de mercado, mas ainda abaixo, por exemplo, do café, que subiu 25% e do algodão, valorizado 15% desde janeiro. Quando comparado às commodities voltadas para a área de energia, a alta do açúcar fica ainda menor, segundo apontou o diretor da Archer Consulting, Arnaldo Luiz Corrêa. No mercado de energia o etanol subiu 73% em 2021, seguido da gasolina, com 59% e do petróleo entre 41-46%. Na última sexta-feira, na ICE, de Nova York, o açúcar bruto no vencimento outubro/21 fechou cotado em 17,71 centavos de dólar por libra-peso, alta de 38 pontos no comparativo com os preços do dia anterior. Já a tela março/22 subiu também 38 pontos, negociada a 18.10 cts/lb. Os demais lotes subiram entre 8 e 33 pontos. Ainda segundo Corrêa, "não é sem razão que o mercado de etanol e açúcar no Brasil estão remunerando como nunca antes, mas é prudente observar que o setor contou com uma pequena ajuda dos grãos e da desvalorização do real frente ao dólar ao longo do ano, além do movimento agressivo de compra por parte dos fundos. Vimos uma tempestade perfeita passar e apesar de sermos otimistas no longo prazo, ou seja, acreditamos em preços maiores centavos de dólar por libra-peso para a safra 22/23 e 23/24, vai ser mais difícil repetir os bons preços em reais por tonelada". Açúcar branco Em Londres a sexta-feira (16) também foi marcada por alta em todos os lotes do açúcar branco. O vencimento agosto/21 foi contratado a US$ 443,70 a tonelada, alta de 7,70 dólares no comparativo com a véspera. Já a tela outubro/21 subiu 7,20 dólares. Os demais contratos se valorizaram entre 4,80 e 7,30 dólares. Açúcar cristal No mercado doméstico o açúcar cristal também fechou a sexta-feira em alta pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada a R$ 115,51, alta de 0,70% no comparativo com os preços praticados no dia anterior.

Fonte: Agência UDOP de Notícias Por: Rogério Mian

5 visualizações0 comentário