Buscar
  • Fonte: d.emtempo

Manaus terá manifestação contra o preço abusivo da gasolina


Taxistas, motoristas de aplicativos e mototaxistas vão se reunir no Posto 700, da avenida Djalma Batista, às 17h.

Manaus - No mesmo dia que a Petrobras anunciou novo reajuste do preço da gasolina para as refinarias, nesta terça-feira (7), motoristas de aplicativos, taxistas, mototaxistas entre outros motoristas de Manaus anunciaram que vão se reunir, nesta quarta-feira (8), às 17h, na avenida Djalma Batista, para protestar contra o aumento abusivo da gasolina em Manaus. O ato será realizado em frente ao Posto 700, na Zona Centro-Sul.

Segundo os organizadores, o encontro tem como objetivo alertar a população manauara e as autoridades públicas não somente sobre os preços que são praticados nos postos de combustíveis, mas expor um “sistema de cartel” que existe há anos na cidade. O ato contará com a presença do ex-secretário do Procon Manaus, Rodrigo Guedes e de motoristas de aplicativos, mototaxistas, taxistas, motoqueiros. O Procon Manaus travou uma batalha jurídica contra os postos de combustíveis nos últimos dois anos.

“A sociedade manauara precisa dar um basta nisso. Tentamos de tudo que estava ao nosso alcance enquanto estava no Procon Manaus, porém, o sistema é muito forte e se protege. A questão principal não é de direito do consumidor, é uma questão criminal, acima de tudo, e só órgãos criminais tem poder de fazer algo. Então é a nossa hora de dizer que não toleramos mais isso, que não aceitaremos mais calados e que exigimos que seja feito algo efetivo pelas autoridades contra o cartel da gasolina e todos os abusos que comete”, afirma.

Guedes informa ainda que todos os consumidores também são bem-vindos no protesto. “Todos nós somos vítimas, direta e indiretamente, e utilizamos combustível no nosso cotidiano. Essa luta tem que ser coletiva e de todos. É importante lembrar que o aumento do combustível também tem impacto em outras áreas como transporte, alimentação e outros produtos e serviços essenciais. Por isso, a conscientização e a adesão é importante para que possamos ser ouvidos e que as autoridades criminais façam a parte que lhe cabe”, finaliza.

Novo reajuste

A Petrobras anunciou, nesta terça-feira (7), reajuste médio de 5% no preço do litro da gasolina vendida nas refinarias. O novo valor entra em vigor nesta quarta-feira (8). O preço do diesel não sofreu reajuste.

Segundo levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 28 de junho e 4 de julho, o preço médio da gasolina comum nos postos de abastecimento do país foi de R$ 4,064. O preço médio do diesel S-500 ficou em R$ 3,147 e o etanol, em R$ 2,737. O valor do botijão de 13 quilos do gás de cozinha foi de R$ 69,85.

Os preços são referentes ao valor vendido para as distribuidoras a partir das refinarias. O valor final ao motorista depende do mercado, já que cada posto tem sua própria política de preços, sobre os quais incidem impostos, custos operacionais e de mão de obra.

“Nossa política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”, explica, em nota, a estatal.

Segundo a companhia, a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos no posto de combustíveis. São os combustíveis tipo A: gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel sem adição de biodiesel.


0 visualização