Buscar
  • Fonte: Grupo Idea

Usina Caçu: Primeira flex certificada no Renovabio


A versatilidade é uma característica que aparece em vários setores do mercado brasileiro. A Usina Caçu, em Vicentinópolis (GO), é um exemplo. No dia 13 de março, a associada da Copersucar capaz de produzir etanol de cana-de-açúcar e de milho tornou-se a primeira unidade flex certificada no RenovaBio.

“Desde o início do RenovaBio, a companhia fez um esforço para que nossas 34 usinas cooperadas fossem certificadas e que o programa governamental de incentivo à produção do biocombustível se viabilizasse”, afirma a gerente de Sustentabilidade da Copersucar, Monica Jaén.

O processo de certificação envolveu as áreas de Meio Ambiente, Geotecnologia, Laboratório Industrial, Fiscal e Tributária da usina. A preparação foi feita por meio de um treinamento organizado pela Copersucar, realizado em abril de 2019. Em outubro seguinte, a usina recebeu a auditoria da certificadora, que analisou todos os requisitos para a certificação.

“Foi necessário atender a todos os critérios definidos pela Agência Nacional do Petróleo [ANP], desde a compilação dos dados nas planilhas até as evidências em vistoria”, afirma a supervisora Ambiental da Usina Caçu, Bruna Faria. “Nossa principal expectativa com a certificação é demonstrar o quanto o etanol é sustentável na cadeia de combustíveis e energia. Consideramos que a cana-de-açúcar é uma das matérias-primas mais sustentáveis do mundo.”

Modelo flex

Segundo Bruna Faria, o modelo de produção flex traz aumento da produtividade de etanol; aproveitamento dos ativos já instalados, o que reduz o custo de implantação do projeto; redução do período de entressafra, maximizando a utilização dos equipamentos e reduzindo o consumo elétrico; e valorização e redução da rotatividade de mão-de-obra, mantendo mais colaboradores em atividade, entre outros ganhos.

Fonte: Copersucar


0 visualização