Buscar
  • Fonte: Portal Solar

Furnas vai gerar energia solar na usina hidrelétrica de Itumbiara


A Furnas Centrais Elétricas estuda qual é a melhor maneira para a implantação de energias solar e eólica na Usina Hidrelétrica de Itumbiara, no rio Paranaíba, a maior usina do Sistema Furnas, que fica localizada entre os municípios de Itumbiara, em Goiás, e Araporã, em Minas Gerais. A ideia é instalar um sistema de geração de energia solar fotovoltaica no entorno e no reservatório da usina.

Para aproveitar a energia solar gerada durante o dia, o projeto inclui o armazenamento da energia em sistemas de hidrogênio e eletroquímico. “Vamos armazenar energia gerada através da fonte solar para buscar ter um período maior de fornecimento de energia dessa fonte”, disse o gestor técnico da Gerência de Pesquisa, Serviços e Inovação Tecnológica de Furnas, Jacinto Maia Pimentel.

Além das baterias de alta capacidade, o armazenamento será feito por meio de hidrogênio líquido. O projeto básico de pesquisa e desenvolvimento (P&D) de Furnas já foi iniciado e deve ser concluído em 32 meses, com investimento previsto de R$ 44,6 milhões da carteira de P&D de Furnas. A iniciativa é fruto da parceria com a empresa Base-Energia Sustentável, associada à Universidade Estadual Paulista (Unesp), à Universidade de Campinas (Unicamp), ao Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Goiás (Senai-GO), à Universidade de Bradenburgo (Alemanha) e à PV Solar.

Segundo Pimentel, a experiência da Universidade de Bradenburgo no armazenamento de hidrogênio vai facilitar bastante a aplicação do projeto. “Serão duas fontes de geração de energia solar. Uma vai ficar no solo e a outra no reservatório flutuante. O projeto executivo, incluindo equipamentos de alta tecnologia e em fabricação nas indústrias, já está pronto. O próximo passo é a implantação da planta de energia solar no solo, com a utilização de módulos fotovoltaicos importados da China”, explicou.

O destino dos 1000 kWp (quilowatts pico) de energia solar que será gerada pela usina fotovoltaica vai para o Sistema de Serviços Auxiliares da usina hidrelétrica. Desse total, 200 kWp serão provenientes das placas localizadas no reservatório da usina, que serão interligados aos 800 kWp das demais placas instaladas em solo.

Segundo a assessoria de imprensa de Furnas, a UHE Itumbiara foi escolhida por apresentar os melhores índices para geração solar em relação às demais usinas do sistema Furnas e por deter um reservatório adequado para a instalação dos painéis fotovoltaicos flutuantes.

Ainda segundo a assessoria de imprensa, os testes finais de toda a planta para colocá-la em operação deverá ser realizado em junho. A previsão é que, até o final de junho, a usina estará funcionando dentro da sua capacidade, permitindo que se iniciem estudos de utilização dessa energia, juntamente com a energia hidrelétrica de Itumbiara. Ao entrar em operação, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) fará o monitoramento da operação por um ano.


11 visualizações