Buscar
  • Fonte: Egidio Serpa

Energia: sol e vento substituem a água


Faltando 21 minutos para a meia noite de segunda-feira, 12, a geração de energia eólica no Nordeste - graças às rajadas de vento que no litoral nordestino registraram 44 km/h naquela hora - bateu um recorde, chegando à marca de 9.240 MW, ou 4,47% a mais do que a do recorde anterior, assinalado às 9 horas do dia 18 de novembro do ano passado.




Fernando Ximenes, dono da cearense GramEollic, empresa especializada em energia, diz que o novo recorde, com fator de potência de 73,27%, abasteceu 94,5 da demanda do Nordeste brasileiro que naquele momento registrava 9.800 MW/h de consumo de energia.



Estas informações confirmam a boa tendência de que no curto prazo - cinco anos, no máximo - as fontes renováveis de energia elétrica (solar e eólica) substituirão as hidrelétricas da Chesf, cuja água servirá para o abastecimento humano e animal e para a produção de alimentos via agricultura irrigada. Outra boa notícia é a da rápida e crescente redução dos custos de geração de energia solar, cujos painéis fotovoltaicos começam a ser produzidos no Brasil.


Em tempo:


Os ministérios do Desenvolvimento Regional e de Minas e Energia deram-se as mãos e prometem investir juntos na promoção de leilões de energia solar para a instalação de usinas ao longo das margens dos canais Leste e Norte do Projeto S. Francisco de Integração de Bacias. Tudo, no mais tardar, até meados do próximo ano.

#energia #renovável

3 visualizações