top of page

Índia planeja desestimular produção de etanol para priorizar oferta de açúcar

A Índia está planejando desencorajar o desvio de açúcar para a produção de etanol como parte dos esforços para garantir suprimentos suficientes do adoçante no mercado local, disseram fontes do governo e do comércio na quarta-feira.

A menor destinação para o etanol ajudará o segundo maior produtor de açúcar do mundo a garantir ofertas do adoçante, uma vez que a produção deverá cair devido a chuvas abaixo do normal nos principais Estados produtores.

O governo poderia pedir às usinas que não usassem produtos da moagem de cana como o melaço "B-heavy" (com alto nível de sacarose) para produzir etanol, disseram eles.

Os varejistas de combustível da Índia compram etanol das usinas de açúcar para misturar com a gasolina e estavam pagando um preço mais alto pelo combustível.

"Depois de avaliar a situação da oferta e da demanda, o comitê de ministros decidiu se concentrar na produção de açúcar este ano", disse uma das fontes do governo que não quis se identificar, de acordo com as regras oficiais.

O governo permitirá que as usinas produzam etanol somente a partir do melaço "C-heavy", um subproduto da cana que quase não contém açúcar, disse o segundo funcionário do governo.

As novas diretrizes para a aquisição de etanol no ano comercial de 2023/24, que começou em 1º de novembro, serão finalizadas em breve e as empresas de comercialização de petróleo provavelmente honrarão os contratos já concedidos, disse a primeira fonte.

A medida do governo é um revés para o setor, que investiu bilhões de dólares nos últimos cinco anos para aumentar a capacidade de produção de etanol, disse uma autoridade sênior do setor que não quis se identificar.

"Esperamos que esse revés seja de curto prazo e que o governo volte a se concentrar no etanol quando o fornecimento de cana-de-açúcar melhorar", disse o funcionário.

Chuvas irregulares no Estado de Maharashtra, no oeste do país, que é o principal produtor de cana-de-açúcar, e no estado de Karnataka, no sul, levantaram preocupações sobre a produção de açúcar deste ano.

A Associação Indiana de Usinas de Açúcar, um órgão de produtores, disse no mês passado que a produção de açúcar deve cair 8%, para 33,7 milhões de toneladas métricas no ano comercial de 2023/24.

A provável queda na produção elevou os preços locais do açúcar para seus níveis mais altos em quase 14 anos.


9 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page